Postagens

Identidade Cultural e alteridade nas Folias de Reis: Reconhecimento igualitário, numa perspectiva multiculturalista*

Imagem
Resumo: A temática que será elaborada neste artigo, tem como objetivo refletir sobre a busca da identidade cultural das Folias de Reis no município de Itaguari - Goiás, numa perspectiva multiculturalista. Averiguando se ocorre um reconhecimento igualitário das divergências existentes, nesta festividade, que remetem desde suas origens. Desta forma, será proposto debruçamos sobre as relações sociais, culturais, políticas e religiosas que incorporaram ao longo do tempo e formularam as alteridades existentes. Manifestações de religiosidades populares, que sofrem exclusão e opressão, por parte das instituições religiosas, e do mundo capitalista, além da falta de reconhecimento e amparo de políticas publicas com estas manifestações culturais, supressão que também permeia no pensamento de parte da sociedade, aonde não vêem com bons olhos estas manifestações. Por fim, problematizando a permanência dessa tradição cultural, apresentando seu caráter de resistência, frente aos processos modernizad…

PORTUGAL E OS CUIDADOS MÉDICOS EM TEMPO DE EPIDEMIA: REGIMENTO PROVEITOSO CONTRA A PESTILÊNCIA (SÉCULO XV-XVI)*

Imagem
RESUMO 


Esta pesquisa tem como proposta analisar os procedimentos e tratamentos médicos dados à população portuguesa no contexto da peste negra durante os reinados de D. João II (1481-1495) e D. Manuel I (1495-1521) a partir do estudo da fonte Regimento proveitoso contra a pestilência que foi composta em 1357 por um médico da cidade de Montpellier, Johannes Jacobi. A fonte é apresentada pela historiografia medieval como pertencente ao gênero médico literário denominado Regimentos de epidemia, obras médicas compostas em época de epidemias como a peste negra. A versão utilizada nesta pesquisa foi a encomendada por D. João II em língua portuguesa. A obra esta estruturada em cinco capítulos: Dos sinais, Das causas da pestilência, Dos remédios da pestilência, Sobre as conformidades do coração e dos outros membros e Da sangria. O escrito foi composto seguindo os ensinamentos das autoridades antigas como Hipócrates e Galeno e árabes como Avenzoar e Averroes. O objetivo principal é analisar es…

AS BASES TEÓRICAS DOS TRATADOS CIRÚRGICOS E ANATÔMICOS MEDIEVAIS: A COMPOSIÇÃO TEÓRICA DA OBRA DE HENRI DE MONDEVILLE (FRANÇA, SÉCULO XIII-XIV)*

Imagem
O presente trabalho tem por objetivo analisar as bases do conhecimento médico usadas pelos físicos medievais, como Henri de Mondeville (1260-1320), na composição de seus tratados de cirurgia e anatomia. A partir do século XII, com o surgimento das corporações de professores e alunos que mais tarde seriam conhecidas como universidades, houve um maior acesso aos textos produzidos por autoridades antigas e provenientes do mundo árabe, graças a traduções feitas por personagens como Geraldo de Cremona (1114-1187). Nos estatutos que regiam Universidades como as de Montpellier e Bolonha, era possível encontrar no cronograma de leituras obrigatórias as obras de autoridades como Hipócrates (460-370 a.C.), Galeno (130-210 d.C.) e Avicena (980-1037). Alguns físicos formados, como Mondeville, certamente tiveram acesso a estas obras e puderam incorporar estas teorias em seus manuscritos cirúrgicos e anatômicos, mesclando o pensamento intelectual produzido por autoridades antigas com os saberes pro…

“O bêbado e a equilibrista”: ensaio sobre o uso da música nos discursos em sala de aula, sobre a Ditadura Civil-Militar*

Imagem
Com absoluta certeza, um dos eventos mais estudados pela historiografia brasileira é a Ditadura Civil-Militar, e isto se deve ao grande número de documentos e eventos que marcaram este período que durou 21 anos. Assim, a proposta deste ensaio é desenvolver uma análise no mínimo capaz de oferecer uma alternativa didática, por meio da música, para o professor que propõe a se aventurar com seus estudantes nesta longa jornada. A música é sempre um mecanismo interessante, capaz de tornar as aulas mais atrativas e o conteúdo melhor assimilável.


LEIA O ARTIGO (CLIQUE AQUI)


* Artigo escrito por Mauricio Ribeiro Damaceno em 2020. O artigo foi enviado em 30/03/2020 para a publicação nos Anais do 6º Simpósio Eletrônico Internacional de Ensino de História.

MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE HISTÓRIA DO MARANHÃO: BREVES REFLEXÕES*

Imagem
Resumo: 
O presente trabalho aborda alguns dos problemas enfrentados pelo Ensino de História do Maranhão quanto à falta de materiais didáticos, já que esses materiais didáticos são necessários para os procedimentos de ensino para que os alunos reflitam os processos históricos e se percebam enquanto sujeitos ativos, capazes de lerem o mundo a sua volta. Apresentamos uma pequena alusão às problemáticas que o ensino de história enfrenta na educação básica e as dificuldades enfrentadas pelo Ensino de História do Maranhão na sala de aula, pois como quase não existem livros didáticos sobre História do Maranhão para a Educação Básica, os professores encontram dificuldades para ensinarem a história local, o que os obriga a prepararem as suas aulas diretamente das produções acadêmicas disponíveis e conhecidas. 
Palavras-Chave: História do Maranhão. Materiais Didáticos. Ensino de História.

LEIA O ARTIGO (CLIQUE AQUI)



*Artigo de Yuri Givago Alhadef Sampaio Matheus e Elizabeth Sousa Abrantes, apresen…

Livro: "História do Maranhão na sala de aula: formação, saberes e sugestões" *

Imagem

O ENSINO DE HISTÓRIA COMO FORMA DE PENSAMENTO CRÍTICO*

Imagem
Resumo: 

Esse trabalho objetiva debater a respeito dos meios que conduzem os sujeitos ao desenvolvimento do pensamento crítico a respeito de ações que envolvem o outro e o meio em que está inserido, destacando o papel fundamental do docente como o agente responsável, através de uma boa didática, de orientar os alunos com vistas a alcançar um estágio de construção de pensamento crítico, possibilitando sua autonomia na elaboração de suas opiniões a respeito de determinados acontecimentos. A didática se torna fundamental neste processo, pois o perito ou o educador ao trabalhar os fatos do passado deve ter consciência daquilo que está sendo transmitido, se certificando que as informações repassadas são de caráter científico. Em tempos de propagação de informações falsas, não cabe aos profissionais da educação apenas lecionar, mas também de ser um investigador do passado. O conteúdo deve sempre fazer com que os alunos abram as mentes para entender o passado, para que os mesmos possam reflet…

LAMPIÃO DA ESQUINA: uma luz nos becos escuros da Ditadura Militar*

Imagem
RESUMO: 

No cenário brasileiro de abertura política, no final dos anos 70, em meio à ditadura militar,surge o jornalLampião da Esquina que lançou seu primeiro número no Rio de Janeiro, em 1978. O jornal configura-se como uma forma de resistência, uma vez que empreendia uma ressignificação da identidade homossexual, buscando combater as representações pejorativas criadas ao longo da história sobre a homossexualidade. O discurso jornalístico de Lampião da Esquina é o de defesa da visibilidade, da cidadania e dos direitos civis aos homossexuais, com a proposta de retirá-los dos “guetos” sociais. Este trabalho tem por objetivo ampliar a reflexão da história contemporânea do Brasil, desmistificando a associação da heteronormatividade como única e aceitável forma de sexualidade e demonstrar a importância do Lampião da Esquina para comunidade LGBT e seus movimentos de luta e resistência que perduram na atualidade.
PALAVRAS-CHAVE: Lampião da Esquina. Resistência. Homossexualidade.



LEIA O ARTIGO …

A CONDIÇÃO FEMININA NO ROMANCE O MULATO (1881): uma análise da personagem Ana Rosa como ideal de mulher para a sociedade maranhense oitocentista*

Imagem
Resumo:
O mulato (1881), romance escrito por Aluísio de Azevedo, aborda questões relacionadas ao preconceito racial existente na sociedade escravocrata maranhense no século XIX, denuncia os abusos do clero e sua influência na sociedade, assim como também descreve os costumes, a cultura e a tradição, principalmente no que se refere a da elite do Maranhão. O romance se desenvolve a partir da paixão de Ana Rosa pelo protagonista Raimundo. Ela, filha de um comerciante português, criada numa educação conservadora e patriarcal e ele, filho de uma escrava, mas alforriado e intelectual. Portanto, por meio dessa narrativa literária, este artigo tem como objetivo a análise do imaginário social referente a mulher, o papel social destinado ao sexo feminino, desenvolvido por uma educação voltada ao casamento e da esposa e mãe exemplar. Para isso, faremos o estudo da personagem Ana Rosa, a qual simboliza a mulher idealizada da sociedade oitocentista.
Palavras-chave:O mulato. Mulher. Ana Rosa.



LEIA O…

CARTA AOS NEGROS E NEGRAS DO BRASIL

Imagem

A Guerra da Balaiada*

Imagem
Caro(a) estudante, 
   Este livro paradidático foi escrito para lhe apresentar a participação popular na Guerra da Balaiada ocorrida no Maranhão, permitindo um passeio pela História Regional. Daremos destaque à participação de caboclos artesãos, vaqueiros, pequenos lavradores, negros alforriados, índios e escravos, os quais protagonizaram uma luta de resistência por cerca de dois anos em grande parte do território maranhense. Outro aspecto de reflexão na Balaiada, que merece ser colocado em xeque, é a memória heroicizante construída sobre a figura de Luís Alves Lima e Silva, o “Duque de Caxias”, tido como “pacificador” por ter debelado essa rebelião popular, fazendo com que os rebeldes conhecessem a mais dura face da repressão para a época. Desse modo, você poderá observar que a participação popular esteve presente nesses processos de forma ativa, contribuindo para desconstruir a ideia de que a história é feita de heróis, de uma história única, que está pronta e acabada como transpar…

A BALAIADA NA SALA DE AULA: ensino de História do Maranhão Imperial e a produção do paradidático “A Guerra da Balaiada”*

Imagem
RESUMO  Este trabalho sobre o ensino de história do Maranhão tem como objetivo a análise de sua produção didática, com ênfase no processo de construção da ordem imperial e, como conseguinte, a produção de um material paradidático sobre a Balaiada (1838-1841) destinado aos estudos de História Regional do Maranhão. A problemática deste estudo consiste em trazer a memória histórica e as identidades políticas, com destaque para consciência política das camadas populares envolvidas nesse movimento, estabelecendo uma crítica à abordagem tradicional presentes nos materiais didáticos, os quais desconsideram os protagonismos das camadas populares nesse contexto de construção da ordem imperial. Dessa forma, foi desenvolvida uma discussão teórica com os conceitos sobre o ensino de História, seguida de um panorama da história local/regional, da análise da historiografia sobre a Balaiada e da produção didática utilizada em sala de aula sobre o processo de construção da ordem imperial no Maranhão Oi…

Reconstrução Histórica da Presença de minerações no município de Faina-GO: Uma analogia socioambiental( 1987-2015)*

Imagem
RESUMO: 
Atravessando um caminho de transformações globais; nas últimas décadas inseriuse uma nova perspectiva no campo historiográfico; a chamada História Ambiental. Desta feita, insere-se uma gama de histórias possíveis a partir de uma perspectiva ambiental, que vem ocupando de interpretações e pesquisas entre “interações de sistemas sociais e sistemas naturais”. Atingindo investigações tanto em realidades rurais, quanto urbanas, industriais; respondendo a questões econômicas, sociais, políticas e culturais. Deste modo, este trabalho propõe investigar os processos de minerações no município de Faina, este protagonista de vários processos mineratórios, desde os primórdios do ouro em Goiás. Para tanto, o objetivo desta pesquisa foi é investigar como se dá essa interação, de modo a entender como uma população interpreta e reage as ações das mineradoras em seu município, em seus vários ciclos. Como mencionado, refere-se ao município de Faina-Go. 
PALAVRAS-CHAVE: História Ambiental. Minera…

O processo de formação sociocultural do município de Morro Agudo de Goiás e a peregrinação ao morro agudo na Sexta-Feira da Paixão: um estudo de caso sobre o Sagrado e o Profano*

Imagem
Resumo: Nesse artigo, objeta-se demonstrar as principais características do processo de formação sociocultural que vem ocorrendo no município de Morro Agudo de Goiás e, principalmente, a questão da peregrinação durante a festa religiosa ao morro agudo na Sexta-Feira da Paixão, como forma de penitência da população nessa localidade, onde se pode observar o enlace entre o Sagrado e o Profano, bem como, demonstrar as conseqüências socioeconômicas e territoriais do processo de inserção de novas práticas culturais na cidade ora em epígrafe. Para isso, procurou-se em obras pertinentes à questão cultural, as referências teóricas sobre a introdução dessas novas práticas culturais. Nessa discussão, através de uma breve abordagem teórica sobre a questão, pretende-se mostrar o processo de formação sociocultural do município de Morro Agudo de Goiás e sua principal manifestação cultural, retirando do mesmo os agentes que foram responsáveis pela formação do território morroagudense e das culturas al…

RAÍZES DO RACISMO NO BRASIL*

Imagem
RESUMO:

O racismo existente no Brasil diferencia-se de outros países, como os Estados Unidos da América (EUA), por ser negado e sutil, mas apresenta resultados objetivos identificáveis. Seu desenvolvimento particular iniciou-se ainda nos primórdios do período colonial e estendeu-se através de representações e teorias diversas até meados do século XX. A partir da década de 1950, diversos estudos desmistificaram a convivência harmoniosa e a chamada “democracia racial” propagada. Mas, o racismo permeia nossa sociedade de forma incrustada, mas subjetiva e negada, o que torna ainda mais difícil a formação de um movimento contrário a sua prática e efeitos. Como parte de nossa história que precisa ser esmiuçada para desconstruir ideologias discriminatórias, este trabalho procura identificar os artifícios de construção do racismo particular desenvolvido no Brasil e compreender os mecanismos de sua permanência na representação social brasileira. A revisão bibliográfica em diversas áreas humanas…

Edição Especial: "Bárbaros"

Imagem
BAIXE EM PDF (CLIQUE AQUI)
* Texto e diagramação feitas pelo estudante Victor Lorenzo Fülber do Instituto Estadual de Educação São Francisco Solano de Não-Me-Toque, Rio Grande do Sul.

Uma poética da emancipação feminina nos sertões goianos (século XIX)*

Imagem

CANTILENAS DE GOIÁS: MEMÓRIA, GÊNERO E PATRIMÔNIOS DAS CULTURAS NEGRAS NA OBRA DE REGINA LACERDA*

Imagem

“E um eco de dor para o futuro”: a construção de uma Memória sobre a Balaiada*

Imagem
Resumo:  A relação entre a política e a escrita da História pode ocorrer de diferentes formas tendo como eixo de discussão e reflexão acontecimentos de diversas naturezas. Mas, sem dúvida, os momentos marcados por intensa conturbação social, como revoltas populares, produzem múltiplas interpretações por parte dos atores históricos envolvidos no conflito, que elaboram discursos e narrativas sobre o acontecimento que presenciaram e procuram legitimá-lo, analisá-lo ou criticá-lo. Pode-se considerar que um período fértil para a pesquisa destas questões é o período regencial e início do Segundo Reinado no Brasil Império, marcado pela efervescência de debates políticos, projetos nacionais e mobilizações sociais que perpassaram pelas disputas no processo de construção do Estado Nacional e desencadearam, em algumas províncias do Império, os conflitos armados. Este foi o caso da revolta da Balaiada, ocorrida principalmente na província do Maranhão, que se expandiu para as províncias vizinhas do…

Os sentidos da escrita da História da Balaiada e da Praieira entre 1848 e 1850*

Imagem
Fonte: Todo Estudo
Resumo: A Memória histórica e documentada da revolução da província do Maranhão desde 1839 até 1840 foi escrita, exceto o primeiro capítulo, durante a estadia de Gonçalves de Magalhães no Maranhão (1840 a 1841) no momento em que o poeta ocupava o cargo de secretário do governo da província durante a contenção da Balaiada. Este texto foi premiado pelo IHGB em 1847 como uma obra de natureza historiográfica. Poucas revoltas foram objeto de narrativas históricas. Teremos outras duas narrativas de revoltas produzidas por homens que participaram da Revolta Praieira: a de Urbano Sabino Pessoa de Melo – Apreciação da Revolta Praieira de Pernambuco -, que figurava ao lado dos liberais; e a outra escrita como resposta àquela pelo conservador Jerônimo Martiniano Figueira de Melo – Crônica da Rebelião Praieira, 1848-1849. A proposta deste artigo é refletir sobre os três textos, apresentados ao público da corte entre 1848-1850. Salvaguardando as peculiaridades de cada narrativa, q…

A ANATOMIA NA BAIXA IDADE MÉDIA: OS LIMITES DA BULA DETESTANDAE FERITATIS ABUSUM E AS CONTRIBUIÇÕES DE HENRI DE MONDEVILLE (FRANÇA, SÉCULO XIII – XIV)*

Imagem
Este trabalho tem por objetivo descrever alguns dos entendimentos a respeito da anatomia francesa a partir da concepção do físico-cirurgião francês, Henri de Mondeville (1260-1320), exposta em sua obra A Cirurgia. Além disto, propõe-se destacar os possíveis obstáculos encontrados pelos estudos anatômicos, sobretudo aqueles causados pela concepção do corpo como objeto sagrado, ideia propagada pela Igreja. Comumente o decreto Detestandae Feritatis Abusum promulgado pelo Papa Bonifácio VIII em 1300, é entendido como um mecanismo de proibição à prática de dissecação, quando na realidade, o mesmo se opõe a prática de desmembramento e fervura dos cadáveres para facilitar o transporte. Apesar da pouca originalidade de autores no final da Idade Média em função do limitado conhecimento interno do corpo humano, obras como a de Henri de Mondeville puderam prestar contribuições, sobretudo na melhoria das escolas médicas da França.
Palavras-chave: Anatomia; Medicina; Henri de Mondeville; Proibições…

REPRESENTAÇÕES FOTOGRÁFICAS: EXISTIR E RESISTIR DAS COMUNIDADES TRADICIONAIS AFRICANAS EM GOIÂNIA*

Imagem
O presente trabalho aborda sobre a utilização da fotografia como objeto de construção da identidade e como um meio de resistência das religiões Tradicionais africanas, mas especificamente o candomblé.    Assim, faz-se possível uma análise da utilização deste recurso nas religiões de matriz africanas para manterem vivo o significado das festas, comemorações e ritos realizados nas casas de santo. Por outro lado, também pode-se identificar a produção de imagens realizada por fotógrafos, antropólogos e pesquisadores da área, que se utilizam desse objeto para manterem conservada a memória do culto a Orixá, sua cultura e tradições.


LEIA O ARTIGO (CLIQUE AQUI)


* Artigo presentado pelo Mestrando Moisés de Carvalho Porto (UFG) no dia 17/05/2019, no IX Colóquio de História e Imagens- GEHIM realizado na Universidade de Brasília. O artigo estará disponível nos Anais do evento, em breve.

ENTRE ESPADAS, LANÇAS E FLECHAS: HENRI DE MONDEVILLE E A ATUAÇÃO DOS CIRURGIÕES NOS CAMPOS DE BATALHAS (MONTPELLIER, SÉC. XIV)*

Imagem
Resumo: 
O presente trabalho tem por objetivo compreender o conhecimento acerca da anatomia para a execução dos procedimentos cirúrgicos nos campos de batalha. A fonte em análise é a obra A Cirurgia, composta entre os anos de 1306 e 1320, pelo mestre e cirurgião Henri de Mondeville (1260-1320). Esse escrito está dividido em cinco tratados com suas respectivas doutrinas e capítulos. Assim, propõe-se analisar a concepção de cirurgia e anatomia para Mondeville, presente no segundo tratado de sua obra, onde apresenta os tipos de armas e os membros do corpo atingidos por cada uma delas. Além disto, destacam-se os tratamentos para feridas localizadas na cabeça (crânio), rosto, pescoço, nariz, peito (tórax), barriga (abdômen), braços e pernas. São ferimentos provenientes de objetos cortantes e penetrantes como as flechas e as lanças, usadas, principalmente no inicio das batalhas, e as espadas, empregadas nos combates de curta distância e individuais. Desta forma, um dos objetivos do trabalho …

O ENSINO DE HISTÓRIA VOLTADO PARA A EDUCAÇÃO PATRIMONIAL NA CIDADE DE GOIÁS*

Imagem
RESUMO A proposta central deste trabalho é analisar o uso do ensino de História para a promoção da educação patrimonial. Ao trazer para a sala de aula a discussão a respeito da realidade histórica dos alunos, acaba levando-os a olharem para o seu patrimônio material e imaterial com respeito e com o conhecimento necessário para interpretá-los como um texto. A discussão caminha entre os significados de termos como patrimônio, patrimônio cultural e lugar de memória, passando pela importância do ensino de História para a educação patrimonial. O professor é visto como peça fundamental na formação de indivíduos consciente. Por fim, com intuito de exemplificar este trabalho, recorre-se ao centro histórico da Cidade de Goiás, como seus monumentos do período colonial ainda muito conservados, tais como a Casa de Câmara e Cadeia, onde atualmente funciona o Museu das Bandeiras.
Palavras-chave: Ensino. História. Educação. Patrimônio Cultural
LEIA O ARTIGO (CLIQUE AQUI)

*Artigo Científico apresentado p…

UMA REVOLUÇÃO QUE AINDA NÃO ACABOU: OS 100 ANOS DA REVOLUÇÃO RUSSA E SUAS REPERCUSSÕES NO BRASIL*

Imagem
RESUMO: Este artigo tem por objetivo, dialogar sobre os 100 anos da Revolução Russa, destacando a sua influência nas manifestações e greves gerais, sobretudo no Brasil. Propomos fazer inicialmente um levantamento de aspectos importantes desta Revolução. Em seguida, apontaremos a trajetória dos movimentos operários e das greves gerais no Brasil, relacionando com a Revolução de 1917 da Rússia. Por fim, iremos discutir sobre o atual cenário do Brasil, com foco para as características anteriores. A Revolução em questão, teve seu ensaio geral em 1905, e sua concretização em 1917. As greves gerais, a teoria marxista-leninista e as lutas da classe trabalhadora, fizeram com que países, como o Brasil, se inspirassem. Ainda em 1917, presencia-se a primeira grande greve geral em território brasileiro, abrindo caminho para que outras acontecessem no governo Vargas, no período de redemocratização após a Ditadura de 1964 e ainda nos dias atuais. 
Palavras-chave: Revolução Russa; Movimento Operário; …

OS PRECEITOS TERAPÊUTICOS NA OBRA A CIRURGIA DE HENRI DE MONDEVILLE (MONTPELLIER - SÉCULO XIV)*

Imagem
Resumo:  Desde os primórdios da história da humanidade, o homem se preocupa com os males que o infligem, fazendo com que ao longo dos anos a medicina se aperfeiçoasse juntamente com seus profissionais. O surgimento das universidades na Europa Ocidental, entre os séculos XII e XIII, trouxe a exigência de novas técnicas aos profissionais, especialmente da medicina e cirurgia. Ações como a disseminação da pratica de dissecação de cadáveres e a valorização do cirurgião são importante para o entendimento da medicina da Idade Média. A obra objeto de nossa análise é o tratado médico A Cirurgia, composta entre 1306 e 1320, pelo cirurgião e mestre Henri de Mondeville (1260-1321), que se formou em Medicina na Universidade de Montpellier e se especializou em cirurgia em Bolonha. Assim, propomos abordar as técnicas cirúrgicas e terapêuticas pregadas por ele, aos novos médicos-cirurgiões, também chamadas de cirurgiões modernos. Para tanto, trataremos ainda, de dialogar com importantes autoridades d…

CONHECER PARA OPERAR: O SABER DOS MÉDICOS-CIRURGIÕES MEDIEVAIS COM BASE NA OBRA DE HENRI DE MONDEVILLE (FRANÇA, SÉC. XIII – XIV)*

Imagem
Resumo: O presente trabalho tem por objetivo destacar as novas habilidades exigidas aos cirurgiões do século XIII e XIV, sobretudo na França, com o advento do ensino universitário, com base na análise da obra ‘A Cirurgia’ de Henri de Mondeville. 

LEIA O ARTIGO (CLIQUE AQUI)

*Trabalho apresentado por Mauricio Ribeiro Damaceno no 5° Simpósio Eletrônico Internacional de Ensino de História, e publicado no e-book  Aprendendo História: Ensino & Medievo.